25
Jan
2015

“Let it go…”

Elsa Diabetes

Você já deve ter visto (e amado!) uma das melhores animações atuais da Disney: “Frozen”… No entanto, o que você provavelmente ainda não sabe é o real motivo da princesa Elsa ser da forma que é. Ela foi criada originalmente para ser uma vilã, atirando gelo para todos os lados, mas o fato que inspirou sua transformação de vilã a incompreendida, assustada e defensiva, foi mais um caso da vida real.

John Lasseter, diretor da Disney e Pixar, explica a concepção de personagens extraordinários com lutas comuns e problemas reais: heróis assim, como eu e você. “A conexão que você faz com o seu público é uma conexão emocional”, conta Lasseter. “Não podemos dizer para o público se sentir de uma certa maneira. Eles têm que descobrir por si próprios. ”

No caso de “Frozen”, a ligação emocional que Lasseter sentiu durante o desenvolvimento da história veio de dentro de sua própria família. Elsa, a princesa de gelo,  foi inspirada em seu filho: Sam tinha 10 anos quando foi diagnosticado com diabetes tipo I. Ele ficou triste e sentia que não tinha escolha: da mesma forma, Elsa luta com os poderes que congelam tudo a sua volta. Ela nasceu com o poder, e, ao longo do filme, aprende as formas de regular e gerenciar sua necessidade.

Sempre encenei “Let It Go” com todo meu coração e acredito que a cena descreva perfeitamente o momento de aceitação da personagem. Elsa finalmente percebe que ela gosta de ser quem é, que não vai mais deixar o medo dominar. Acredito que, de certa forma, todos nós nos identificamos um pouco com ela, não?

“It’s funny how some distance makes everything seem small and the fears that once controlled me, can’t get to me at all! It’s time to see what I can do; to test the limits and break through: no right, no wrong, no rules for me. I’m free… Let it go!”

Da próxima vez que você estiver cantando “Let It Go”, talvez entenda um pouco como me sinto! “Frozen” é incrível.

email